Notícias

Justiça determina extinção do Parque Estadual Cristalino II, no Mato Grosso

Decisão judicial pede que governo anule o decreto de criação do parque por não ter realizado consultas públicas. Organizações socioambientais se manifestam contra extinção

Duda Menegassi·
4 de agosto de 2022·2 anos atrás

Um acórdão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) determinou a extinção do Parque Estadual Cristalino II, no norte do estado, que protege 118 mil hectares em área considerada prioritária para conservação na Amazônia. De acordo com a decisão judicial, devido a não realização de consultas públicas, o governo do MT deverá anular o decreto, de 2001, que criou o parque. Em resposta imediata à sentença, organizações socioambientais iniciaram uma mobilização em defesa do parque.

A ação declaratória pela nulidade do decreto de criação foi protocolada pela empresa Sociedade Comercial e Agropecuária Triângulo LTDA  em janeiro de 2011 contra o estado de Mato Grosso e negada em 1ª e 2ª instância. Após recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ), o processo voltou para análise pelo TJMT, onde os desembargadores decidiram, por 3 votos a 2, pela anulação do decreto que criou o Parque Estadual do Cristalino II. Réu neste processo, o governo do MT não recorreu dentro do prazo legal e com isso a decisão transitou em julgado no final de abril.

“A decisão judicial transitou em julgado para o Estado de Mato Grosso sem nenhum recurso judicial interposto pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), o que demonstra uma inércia do Poder Público na defesa de suas áreas de preservação”, ressalta trecho do documento liderado pelo coletivo Observatório Socioambiental de Mato Grosso, junto com o Instituto Centro e Vida (ICV), a Fundação Ecológica Cristalino e a Rede Pró-UC. 

Em reação à decisão, as organizações já articulam uma campanha contra a extinção do Cristalino II. “ONGs locais e nacionais já estão se mobilizando do ponto de vista jurídico e para chamar atenção das pessoas, porque além de vários erros no processo, existe o argumento de que a sociedade não pode pagar pelo erro do governo do Mato Grosso, que foi negligente duas vezes, primeiro quando não fez a consulta pública – e a gente entende que há brechas nessa discussão sobre a consulta pública ser fundamental ou não – e agora, por não ter recorrido e portanto ter perdido o prazo neste momento. E isso precisa ser revisto com urgência”, resume a diretora-executiva da Rede Pró-UC, Angela Kuczach.

A obrigatoriedade da consulta pública para ouvir as partes interessadas e de estudos técnicos para embasar a criação de áreas protegidas é estabelecida em lei federal pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), de 2000. O Parque Estadual Cristalino II foi criado em maio de 2001 pelo decreto estadual nº 2.628/01, com 118 mil hectares, em área contígua ao Parque Estadual Cristalino I, criado no ano anterior (nº1.471/00), com 66.900 hectares. Ambas as unidades estão inseridas dentro da área considerada prioritária para a conservação da biodiversidade da Amazônia.

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Reportagens
21 de junho de 2022

Como morrem as unidades de conservação no Brasil – Rondônia na vanguarda do retrocesso

Série especial realizada em parceria com o Centro para Análise de Crimes Climáticos revela vulnerabilidade das áreas protegidas estaduais frente ao poder público local

Notícias
10 de março de 2022

Avança na Câmara projeto que pretende retirar Mato Grosso dos limites da Amazônia Legal

Projeto, apresentado no final de fevereiro pelo deputado Juarez Costa (MDB/MT), está sendo avaliado nas comissões permanentes da Câmara em tramitação ordinária

Análises
2 de abril de 2014

Parque Estadual do Cristalino é a bola da vez no Mato Grosso

Partiu da Secretária de Meio Ambiente do estado a iniciativa de alterar o conselho consultivo e abrir o entorno do parque para grandes obras.

Mais de Golden Queen

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários1

  1. Ressalta-se que a ação para extinção do Parque partiu do maior desmatado e grileiro do Brasil. conforme link: https://www.hdxgyy.com